– O EPÍTETO DA KAWAIICE. –

Ontem, dentro do busão, eu vi uma cena que quase me matou de tanta fofura.

Não é fofo? *_*

Ah, celulares. Ajudam e atrapalham ao mesmo tempo.

Ele tava fingindo que dirigia o ônibus!!

Forçava – muito mesmo – os pezinhos pra poder alcançar os pedais,  girava o volante com segurança, abria as portas no braço que suspende e o freio era um cabo de rodo que ficava na lateral.  E se divertia sozinho naquilo, na direção daquele veículo tão grande.

Sabe, eu fico feliz quando vejo que ainda há crianças com imaginação no mundo, dá uma sensação gostosa de que nem tudo tá perdido. O sorriso acaba aparecendo no rosto da gente sem ao menos se notar.

…Posso dizer que ele guiou muito bem o busão até onde a mãe dele desceu, inclusive deixando os comandos de abrir e fechar as portas devidamente programados. Tirando a vez que ele largou a direção pra dizer pra vó que tava dirigindo.

Meu dia foi bem mais leve por causa dele. Ah sim, Kawaii é fofo, em japonês.

O segredo na barriga da baleia

Adoro assistir filmes de tudo quanto é lugar. Sério. Deixa quieto que eu tenho outra pencas de coisas pra ver. Ói lá. Já assisti de campeões de bilheteria americano até filme véio de vampiro chinês. E recomendo. 8D Dessa vez eu decidi ver um filme árabe (foi mal, não sei de onde é, mas parece Egito), de um dos cantores que mais admiro: Mustafa Amar.

O amor começou aqui. Isso já tem uns 9 anos. ♥

Eu me interessei vendo o clipe que passou no canal da TV a cabo, e pôxa, achei que Mustafa Amar + música + filme + ocultismo + zuação pudesse, de alguma forma, dar certo.

Eita Mustafa, mexendo com coisa que não deve. #aiquesusto

Mas na real, o filme prometia só no clipe mesmo. Trem mais sem pé nem cabeça, e pra me matar de ódio, com final mais que aberto; inconclusivo. Mustafa vive Adham, uma salafrário  fiadap*ta que trabalha num banco do Egito graças ao QI dele (QI quer dizer QUEM INDICA, pros menos avisados), e que leva tudo na lei de Gerson, no papel dele de empregado encarregado dos empréstimos, escolhendo pela cara pra qeum ele vai liberar o dindin. DO NADA ele recebe uma promoção e passa a ser o gerente do setor de empréstimos (isso depois do chefe dele recriminar o modo com que Adham decide a quem emprestar grana). Ele tem um amigo pirro que é doido pra se casar, e acha que tem algum feitiço prendendo ele. Aí eles vão procurar um charlatão pai-de-santo ALIKE e o cara diz que fizeram um despacho e botaram na barriga de uma baleia OI? e pra ele se salvar precisa dar dinheiro.  Adham, que não é bobo nem nada, chama o cara de charlatão na cara e sai com o amigo dele de lá. Mas o cara manda uma mardição igual Bento Carneiro e Zé do Caixão no coitado. Aí, depois daquele dia, ele começou a ver a essência das pessoas, e começa não se vendo no espelho. Taha era passado da hora de diminuir as dróga, salafrário! Aí é que ele percebe que a empresa completamente altruísta que quer emprestar dinheiro é de um bando de ladrões, que vai dar um megarrombo no banco. E aí ele precisa fazer alguma coisa pra isso não acontecer.

Ele se impõe, diz que não vai assinar o relatório (apesar de os documentos estarem todos certos), e aí os criminosos começam a ameaçar ele, sequestram ele e colocam em risco a vida da véia dele e da mocinha colega dele de banco que gosta dele (e ele dela), e ele fica entre a honestidade e o cagaço, sem saber se assina ou não. No meio de todo esse forfé ele decide que quer voltar a ser o Adham de antes, que não ligava pra nada e decide procurar o cara que ele chamou de charlatão. Antes, passa o clipe de Khamas Afareet ele faz a brincadeira do copo, do compasso e aparece vestido de pai-de-santo (não tem nenhuma outra explicação pra isso, sério!), e o cara, na cadeia (parece) admite que era um embusteiro.

Mas o ruim mesmo tá no fim do filme, já que o filme não tem final: a menina que ama ele (e ele a ela) convence que eles devem falar com o dai-chefe deles (dono do banco) sobre o que está acontecendo. Eles vão até a sede do banco um dia e tomam um chá-de-cadeira milenar, esperando pra serem atendidos por metade do expediente e dormindo de tanto esperar na segunda metade. Decidem encontrá-lo num evento e levar o assunto até ele. Quando o Adham começa a falar, diz que “não está certo” (tradução do nome do filme, Mafish Fayda), mas o chefão vê um segurança gesticulando que o empregado é doido, e nisso chegam os criminosos que querem o empréstimo e acompanham o boss adentrando no salão. A menina bota mais pressão no Adham, ele tem um flashback de todo o filme até ali, grita que não dá pra continuar daquele jeito, os dois sobem as escadas correndo E O FILME ACABA!!!! COMO PODE????

Ainda peguei uma versão zuada na legenda, faltando traduções e algumas palavras indecifráveis. Realmente, valeu a experiência pra meu primeiro filme árabe, mas na real, só o que eu quero guardar é Khamas Afareet e os lindos olhos do Mustafa.

Adham, seu maconheiro Moustafa, seu lindo!

OUTRO?

Sim, outro. Mas o nome é o mesmo.

Decidi mudar do blogger, lá não tem tantos recursos como tem aqui. ^_^

E o nome é reciclado de eum outro blog que eu tinha…  abafa.

Aqui eu quero postar sobre tudo, tudo o que eu vejo por aqui, tudo o que me encanta, me intriga, me chama a atenção ou que me incomoda.E eu realmente acredito que, de todos os lugares, se tira um aprendizado Ainda que aleatório. Né não?

ENTÃO VAMO COMEÇAR LOGO ESSA JOÇA! UHUU! \o/